Quando a tristeza invade datas especiais

Em um casamento, formatura, férias, nada pode estar fora do lugar… Nestas ocasiões, há espaço apenas para a felicidade, é o que todo mundo pensa. E não é qualquer tipo de felicidade, é daquele tipo que transborda, fica na história, rende memórias incríveis que beiram o inacreditável. Por vezes, quando o tédio ou a tristeza invadem um dia de trabalho, nesses que é até aceitável um pouco de desânimo, os planos de dias que prometem ser perfeitos colocam até um sorriso no rosto.

Só que esquecemos do quanto a vida é imprevisível, ter planos é bom, o pensamento positivo tem poder, porém nunca se sabe quando algo ruim está para acontecer. Aí a gente se distrai e trai no dia a dia, sonha com férias, enquanto a única certeza é o minuto presente. Sim, é um clichê, destes cheios de razão, vai negar que é verdade? A vida já me mostrou que a imprevisibilidade é certa.

Já tive que adiar a data do meu casamento para esperar minha mãe sair do hospital. Ela não saiu, me restou a despedida e ter que seguir adiante, apesar dos pesares. Na época, foi muito difícil perceber que eu não tinha saída. Bom foi ver um casório no civil cheio, com gente até nas janelas e lágrimas nos olhos. Quebrando protocolos, até discurso teve. Quando chegou minha vez eu nem tive coragem, o nó na garganta abreviou tudo em um “muito obrigada”, espero que quem foi tenha percebido que eu queria ter dia que só consegui cumprir todas as formalidades por saber que teria quem me apoiasse.

É nestas situações que vi que o esforço deve ser para ser feliz todo dia, na rotina, com um trabalho que signifique muito mais que contas pagas no fim do mês, com os encontros cotidianos. Cada segundo vale e é dele que tenho certeza, no próximo tudo pode desandar. E quando algo sai dos trilhos, que o acontecimento ruim me ajude a crescer e não me impeça de sonhar. Apesar do planejamento poder não dar certo, caminhar em direção à realização vai me deixar feliz mesmo se a tristeza tentar tomar conta de tudo.

 

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *