OITNB: meu mais novo vício

OITNB: meu mais novo vício

Histórias boas e sobretudo bem contadas têm um poder quase hipnotizante sobre mim. Desde que comecei a assistir Orange is the New Black estou assim, louca para saber como a história da detenta Piper, Alex Vause, Olhos Loucos, Red e várias outras se desenrola. Baseada em uma história real, em um livro de memórias que a protagonista escreveu quando cumpriu pena em um presídio de segurança mínima, o dia a dia das detentas, amores e rancores (principalmente) são mostrados na série.

Sobre a protagonista que desenrola todas as outras histórias, Piper, ela foi parar na prisão após transportar uma mala de dinheiro proveniente de tráfico de drogas, quando se envolvia amorosamente com uma das integrantes do cartel – Alex Vause. Depois de 10 anos do crime, ela é condenada a 15 meses de detenção. A esta altura ela já está noiva de um homem, o escritor Larry Bloom. Mas a história não é só este drama todo não, tem muitos momentos engraçados e românticos – entre as presas, entre as detentas e carceireiros e com quem espera essas mulheres do lado de fora da prisão.

Pelo que procurei saber, a criadora da série fez várias adaptações que ancoradas na realidade deixaram OITNB imperdível. Ou seja, nem tudo é do jeitinho que aparece, mas como criações artísticas não têm compromisso com o que houve de fato, eu não me preocupo em separar o real da ficção, só de curtir a boa história. E o que orange tem de tão especial? Acredito que principalmente os anti-heróis. Não há nenhum salvador da pátria, mas seres humanos com muitas falhas, dilemas, sem deixarem de manifestar momentos de muita sensibilidade, dor, amor, carinho e outros sentimentos nobres.

A série é uma produção original da Netflix e está na terceira temporada. Eu estou na segunda e garanto que uma das melhores que já vi. Tenho gostado tanto da história que vou logo providenciar o livro que a inspirou e o que Alex Vause da vida real, a antagonista, escreveu para mostrar tudo sob um outro ponto de vista.

Eu indico para quem gosta de acompanhar tramas bem pensadas, roteirizadas, filmadas! Confira o trailer, perdoe-me, não achei legendado. Perdoe-me 2: tem um anúncio antes, em cinco segundos você pode pular.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Você tem 2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *