O problema não é você, sou eu. Será?

O problema não é você, sou eu. Será?

Partir um coração é difícil, dói, mesmo quando existe a necessidade do fim para viver de forma livre e verdadeira. E a justificativa “o problema não é você, sou eu” esconde, ou pelo menos resume, as verdadeiras razões de tudo acabar. Quem pede o término talvez seja mesmo o problema, mas por quê?

Quer estudar para vestibular ou concurso e precisa de foco? Vai embarcar em um intercâmbio de um ano ou mais? Pode até ser, mas não é suficiente e  existe uma explicação maior e simples para dizer não ao namoro.

Falta amor de verdade, destes que mostra que aquela é a pessoa para dividir tudo, talvez até a angústia de viver longe da família e amigos para buscar um objetivo. Namorar é compatível com tudo isso e pode até ajudar. Alguém que entenda a rotina louca de estudos pode ser um alento quando a cabeça pedir uma pausa. Eu conheço casais que entendem todos esses motivos e continuam juntos, mesmo com um em cada canto do país, simplesmente porque sabem e querem estar perto um do outro o mais breve possível. Os dois planejam e lutam por isso.

O problema só é a vítima do término, mesmo quando há amor por parte de quem pede o fim,  quando comportamentos inadequados passam a fazer parte do namoro. Para evitar constrangimento, “o problema não é você, sou eu” aparece em tom mentiroso e o outro logo percebe e sabe o que não se quer dizer. Daí ninguém se queixa, ambos sabem os verdadeiros motivos e para não render acaba tudo assim mesmo.

Também sei de gente que namora apenas para passar o tempo, ter companhia e mesmo sendo vizinho do companheiro usa a frase “o problema não é você, sou eu” para terminar.  Realmente, o problema é de quem pede o afastamento, em partes. Ele não quer namorar porque gosta de verdade, mas por precisar de alguém que corresponda às expectativas, com qualidades perfeitas para levar a um passeio ou ficar em casa se for mais caseiro. Aí, quando algo destoa um pouco do que se pensou, vem o tédio e o fim.

Há quem namore só por esporte, para ter com quem sair, mas eu nunca consegui, talvez por isso tenha casado tão cedo, por levar a sério os sentimentos meus e de quem estava comigo. É pior ainda quando para um é para valer e para outro um passatempo. Aí, não tem jeito, o problema realmente é quem pede para tudo acabar, pena que o outro não percebe ou finge não perceber e segue adiante, mesmo perdendo tempo, cego por amor.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Você tem 2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *