O livro de contos/crônicas que aqueceu meu coração

O livro de contos/crônicas que aqueceu meu coração

Rubem Alves está entre os meus autores preferidos, consegue dizer o que há de mais bonito com uma simplicidade extremamente sofisticada. “O amor que acende a lua” inundou meu coração, é um livro que reúne 29 contos e crônicas, todos excelentes, nenhum receberia o conceito bom se eu fosse avaliá-los individualmente.

O livro é organizado em fases: lua nova (tem mais contos/crônicas sobre natureza); lua crescente (versa sobre situações difíceis e atitudes maduras – o “A pipoca” e “Escutatória”, famosos, estão neste capítulo); lua cheia (muitos textos sobre amor); lua minguante (espiritualidade é a temática central).

Garanto que muita gente pensou em comprar um exemplar por causa de “A pipoca” e “Escutatória”. O mais interessante é que o amor que acende a lua - livro de rubem alveso primeiro texto é usado bastante em treinamentos motivacionais, já que fala de transformação pela dificuldade, de que o milho só se transforma quando passa pelo fogo, só que nenhum psicólogo imprimiu o texto completo, o que o deixa com muita cara de autoajuda. Completo ele é muito mais bonito e ensina bem mais. Já “Escutatória” é uma crônica muito bonita mesmo, pois fala da habilidade de ouvir, ao fazer uma comparação com cursos de oratória e sugerir cursos que ensinem escutar. Mas o “Amor que acende a lua” tem textos tão ou mais bonitos que os dois famosos, assim jogar no Google e ler nunca é igual. Além disso, a própria disposição dos contos/crônicas constroem leituras.

Só tenho uma tristeza em relação a obra, emprestei, não sei pra quem, fiquei sem o livro que é uma forma de deixar o dia melhor. Por ser de crônica e contos, eu sempre o abria em uma página aleatória e procurava o início do texto, ei até de adquirir um novo para deixar na minha cabeceira. “O amor que acende a lua” é assim, irresistível, ler e folhear depois de tê-lo torna-se um hábito.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *