Solteiro sofre demais. Será?

Solteiro sofre demais. Será?

Pelo menos o Larry James Lurex, protagonista do livro de Bruno Godoi,  sofre, e como. Coitado, “apaixona-se” em cada esquina e o verdadeiro amor é uma mulher casada, e safada, pois Lurex só consegue ficar excitado com tais moças, as recatadas não têm vez.

E olha só a confusão, para se curar da tara doentia – ESCS (Ereção Só Com Safadas), ele foi pra igreja e propôs casamento para uma virgem que tem um pai que supervisiona tudo, até a qualidade do esperma do noivo. Claro, no livro tem WhatsApp, Tinder, papo furado na internet, que faz parte da vida dos solteiros hoje. Pronto, os elementos para muitas aventuras e comédia estão nas páginas do Solteiro sofre demais, o livro que acabei de ler.

Para completar, James divide o apartamento com Leo, um amigo super falcatrua, Fredie, zen radical e Ritinha 5, uma pinscher que é o mascote e xodó da turma. Detalhe: Ritinha existe de verdade, vive em Divinópolis e é a quinta cadelinha do Bruno de nome Rita, bem como dos integrantes da Nossa República. Apaixonei-me por ela, super companheira e cheia das esquisitices, como todo bom cachorro.

Além do roteiro, gostei muito de o autor dar a história para quem lê. Ele narra a história com você, tudo que James faz ele usa você e não ele ou eu. Assim, o que eu já costumo fazer na maioria dos livros foi mais estimulado. Normalmente escolho um personagem e empresto minha cara para ele. E olha, estar na pele do James é difícil, uma sofrência que só.

O Solteiro também foi escrito para ser fácil e rápido de ler, o que classifico como super contemporâneo, já que tudo passa tão rápido. Em uma proposta batizada como base 10, 100 palavras em cada parágrafo, 10 parágrafos em cada capítulos somados a frases curtas, a leitura flui, com muitas gargalhadas no meio.

Eu, como amante da língua portuguesa, também adorei as brincadeiras com as palavras bem apropriadas para o professor de literatura, nosso solteiro Larry. Para dar mais graça ainda ao livro, James absorve muito do que as ficantes ensinam, professoras de outras áreas. As referências às séries, universo nerd também me agradaram, deixaram o solteiro ainda mais interessante e atual.

Tem muita besteira no livro, parece aquelas reuniões com nossos melhores amigos mais o que se passa pela cabeça sem filtro com boas doses de exagero para deixar mais cômico, sabe? Sem mimimi nenhum, como é a proposta do livro. E acaba com uma mega deixa para um segundo livro e muitas asas para imaginação até que o Solteiro 2 seja lançado.

Apesar de muito engraçado, senti muitas críticas ao jeito atual dos jovens se relacionarem, uma loucura só, complicada mais ainda pelas ferramentas on-line. O estar só mesmo que acompanhado porque ninguém quer perder a chance de gravar um snap ou a conversa que acabou de aparecer na tela do celular.

Dica:

Ficou curioso? Tenho um exemplar do solteiro (e muitos outros prêmios) para sorteio. Na segunda-feira(23.11), estará no ar. Fique de olho, hein?

 

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Você tem 5 comentários
  1. Heloísa G. A. at 12:15

    Oii Talita, já adicionei esse livro na minha lista de desejos esse ano, mas ainda não tive oportunidade de comprá-lo. Vou esperar seu sorteio, quem sabe né? Me interessei muito pelo o que você falou, o livro parece ser muito divertido, adoro! E é certo que terá o livro 2? *-*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *