Renovação

Renovação

Renovação é um velho sonho que encontra forças para sair da gaveta depois de sacudir a poeira dos desafios. É um desejo novo que já encontrou um jeito de acontecer. É a felicidade com roupa que acabou de sair da loja ou que acha uma forma diferente de combinar peças antigas. É a ação revigorante de um olhar diferente sob a alma. É a fé na vida se divertindo com o que ficou esquecido no papel ou na imaginação.

Renovação é uma moça séria que sabe aonde quer chegar. Ela se permite brincar pelo caminho para ganhar o fôlego que precisa para continuar, bem de vez em quando. Mas o semblante firme dela faz com que passe por chata, era o que fazia de mim uma viciada em inícios do zero, aqueles que trazem na expectativa um ar festivo, bem mais alegre do que o espírito dos recomeços, porém não é menos feliz.

Era por isso que eu entediava-me fácil com o que perdia o sabor do novo.  E como hábito ruim, com uma teimosia poética do “eu sou assim mesmo”, insistia em achar que era certo até começar a me intoxicar com a fumaça dos começos, reviravoltas, desistências constantes… Substituí os inícios por outro vício: a renovação, que é da mesma família do novo, porém mais responsável, persistente.

Assim, em vez de seguir por estradas que não estavam no meu mapa, comecei a aprender a ver o antigo e necessário com outro olhar. Um olhar que procura realidades desconhecidas no que já está na vida há muito tempo e que talvez precisa só de mais alguns dias para trazer o que sonhei.

Os inícios tornam-se mais cotidianos do que os de outrora, pois os recomeços exigem uma habilidade diária para reconhecer que em cada coisa que está as voltas faz tempo existe um início escondido e um sonho no fim da estrada se eu prosseguir.

É um começo mais sábio até, pois já pegou a poeira de um longo caminho, transpôs obstáculos, sorriu, chorou e mesmo assim manteve-se obstinado no que pretendia quando o início chegou com toda a sedução do que é novo. Tem horas que me canso e penso que não tem por onde o recomeço entrar, porém tento enxergar cada ângulo da realidade para não me perder no que parece ser o caminho mais bonito e nem sempre mais sábio.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *