Os sonhos não envelhecem

Os sonhos não envelhecem

Ser mineiro é ter orgulho de ouvir uma canção do Clube da Esquina pelo país afora. Milton Nascimento, Tavinho Moura, Fernando Brant e alguns Borges (Lô, Telo, Marilton) transformaram em músicas muito do que a gente sente, deu um som para a mineiridade. E como não poderia deixar de ser, um dos Borges, o poeta e publicitário Márcio, contou os bastidores das canções e de tudo que houve na época em que foram compostas e gravadas no livro Histórias do Clube da Esquina – Os Sonhos não Envelhecem.

O que mais gosto de livros sobre músicas é descobrir o que o autor pensou, pois nunca é o que imagino. A canção Girassol da cor do seu cabelo, por exemplo, fala de uma moça com características indígenas, com os fios negros como as noites. A cor do cabelo como girassol é porque os raios de sol deixaram-no iluminado. Eu amo a música e tinha certeza que a inspiração era uma loura, vestida com um azul esvoaçante. Na verdade, a roupa usada era um vestidinho jeans. E aí é que tá a beleza da arte, ela só é do autor até ser exposta, os olhos, ouvidos e mente do apreciador é que vão dizer do que falam os versos, pelo menos para ele. A razão nascedoura dissolve-se na subjetividade de cada um…

Também sou atraída pelas manias e curiosidades dos artistas em livros sobre música. Neste caso, o Milton não saía das casa dos Borges no Edifício Levy. Como eram muitos filhos e poucas camas, ninguém se importava de dividir o quarto dos meninos com ele.

As idas às cidades históricas e gravação dos CDs também são pontos altos. Em um deles, vê-se claramente a dificuldade de gravar com o quantidade de gente talentosa do Clube reunia. E a turma se divertia na Praia de Camboinhas, em Niterói, entre uma música e outra. Tudo fica ainda mais bonito com as fotos complementares ao texto. Dá para descobrir também a história por trás da imagem antológica dos meninos que ilustram a capa do primeiro álbum, só que não irei contar para não estragar a surpresa.

Quem lê o livro também vê histórias dos tempos sombrios da Ditadura. É um prato cheio para quem gosta de história, música e boa literatura, eu recomendo!

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *