O dia sem bis

O entusiasmo com música era tanto que três amigos se juntaram para formar uma banda, a Destaque. Sim, eram três, porém não integravam um trio. Janir, Ferreira e Sinval eram os membros fixos, que, normalmente, sabiam quais pessoas iriam completar a formação no dia do show. E gostavam tanto de cantar e tocar que nem cobravam cachê. Iam por pura satisfação.

Um belo dia, os descendentes do Cristóvão resolveram reunir a parentada em um festa. Daria pra lá de mil pessoas, oportunidade perfeita para subir ao palco em Martinho Campos, berço da maior parte da família, da qual, inclusive Janir é agregado, Ferreira integrante e Sinval amigo.

Fizeram a proposta para os organizadores e de pronto aceitaram. No  dia do show a inexperiência cobrou o preço. O local era grande demais para a potência da aparelhagem de som da Destaque. Nada que a animação do povo não  ajudasse a camuflar. Ninguém reclamou da qualidade sonora e dançavam que era uma beleza ao som das melhores modas, sertanejo e as músicas do momento.

E no intervalo, Janir usava uma tática, em todos os shows. Desregulava de propósito a aparelhagem. Segundo ele é porque não dá para competir com a gravação das bandas profissionais, as quais tocam enquanto a banda contratada descansa. Só que naquele dia ele esqueceu de bagunçar estrategicamente o som. As músicas saíam numa qualidade sem igual. E daquele jeito quem ia querer a Banda Destaque no palco novamente? No desespero, Janir pediu logo que Sinval fosse o mais rápido possível resolver o problema. A afobação foi tanta que Sinval, em vez de mexer nos botões, arrancou os fios todos de uma só vez.

Daí, foi preciso que os três arrumassem a fiação toda outra vez, o que prolongou tanto o intervalo que o povo, sem música, pensou que a festa havia acabado. Quando eles voltaram ao palco encontraram tudo vazio. A festança acabou mais cedo. A Banda Destaque conseguiu acabar com I Festa dos Cristóvão.

No outro dia se prepararam para ouvir o xingatório, mas a única reclamação era que a banda parou cedo demais, o repertório tava joia, os cantores e a viola tinindo, segundo o público.Tomaram como elogio e nem contaram o real motivo do show curto para todos. Diziam que os próximos seriam maiores e davam por encerrado o assunto. Se a banda tivesse voltado, com certeza a plateia teria pedido bis e arrastado o pé até o amanhecer.

 

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *