Meus segredos com Capitu

Meus segredos com Capitu

Ana Elisa Ribeiro reuniu crônicas apaixonantes para quem gosta de ler ou escrever. Como gosto dos dois, a leitura foi bastante proveitosa. Encarei como um passeio pelo universo de quem sabe as dores e delícias de publicar um livro, de quem ensina a ler e a escrever também. Assim é que Ana passa pela formação do hábito de leitura, o papel da escola, dos pais e do próprio leitor no gosto pelas letras. Ainda falou dos vários lugares em que os livros podem estar: livrarias, cafés, estantes que montamos em nossas próprias casas e a revisão de textos, parte tão necessária quanto melindrosa do processo.

Mas escrever também é muito perigoso, Ana mostrou bem em umas crônicas e eu sinto na carne, talvez os textos que abordaram esta questão tenham chamado tanto minha atenção por isso. Explico: quando se publica um texto ele deixa de ser de quem escreve para se tornar do leitor. Ele (pode) dar outros significados para tudo e ainda ter reações que extrapolam o que a mente. São inúmeras as interpretações, algumas nunca imaginadas por quem redigiu, o que pode ser ótimo ou desastroso.

Na análise de Ana, escritor não é narrador e poeta não é eu lírico. No meu caso quase sempre é. De vez em quando conto uns causos e resenho livros, para aliviar um pouco o teor autobiográfico do que escrevo, mas na maioria dos textos fico nua diante dos olhos de centenas, às vezes milhares (depende do post), dos leitores. Nunca tive problemas com as interpretações, um ponto de vista ou outro diferente é normal, só mesmo uma reação bem longe do mundo da leitura é que me assustou (em hora oportuna conto). Fato é que escrever demanda coragem, dar a cara a tapa. É um risco gostoso de se correr e provocar é um dos papéis dos livros e da escrita.

“Meus segredos com Capitu” foi adquirido com o intuito de conhecer um pouco mais deste universo que habito, uma forma leve de conhecer e refletir sobre alguns processos de leitura, escrita e revisão. É interessante principalmente para quem quer fazer o mesmo. Ana Elisa, além de crônista, é leitora apaixonada, doutora, professora do Ensino Médio ao Doutorado na área de Letras. Ou seja, sabe do que fala e faz. E como faz bem. Será daqueles livros que vou folear de vez em quando, especialmente nos momentos em que algum dilema me pegar. Além disso, os textos da Ana são muito bons, bem escritos e saem do senso comum mesmo abordando o que é tão atual.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *