O peso da caneta

O peso da caneta

Escrever é descobrir que muito é pouco e, às vezes, que pouco é bem mais do que eu pensava. Quando começo um conto ou crônica logo vejo que a cruz que eu carregava era bem mais leve do que parecia, de vez em quando acontece o contrário, o que era simples fica denso e ganha muito mais espaço na minha vida. Acredito que o poder da escrita é este: desatar nós e criar laços eternos com o que de fato conta.

Desde que aprendi a escrever tenho a necessidade de passar tudo a limpo. Foi a escrita que me deu uma profissão e hoje mais do que nunca preciso dela, para sobreviver até, em todos os sentidos. Quando me desafiei no início do ano a escrever todo dia o que eu queria era encontrar um motivo para redigir sem que ninguém me pautasse. E assim eu abri mais meus olhos e a inspiração não tem me deixado na mão.

O melhor de toda esta história é que aprendi que todo dia me ensina algo, que existe pelo menos uma lembrança, uma sensação que merece ser eternizada. E a única maneira de não deixar eternos momentos fulgazes irem embora é pregá-los à tinta. Daí não haverá tempo nem mal capaz de apagar o que um dia foi importante. O tempo é implacável e costuma levar muito do que foi bom um dia, de dissolver acontecimentos, a caneta tem o poder de trazer a tona o que realmente houve.

Às vezes, depois de um tempo, o que escrevi no passado parece uma fotografia de uma época distante. É bom ver que resolvi o que me incomodava e hoje minhas questões. Noutras, dá vontade de voltar. E volto, porque memórias, fotografias e a leitura são as únicas máquinas do tempo. A escrita não deixa dúvida de qual era o caminho, já que a lembrança, quando vem só da cabeça, aponta outras estradas. Aí eu viajo mais certa de que voltarei onde eu queria.

 

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Você tem 5 comentários
  1. Juliano Fernando at 12:25

    Oi Talita, tudo bem?
    Ah como é bom comentar aqui! <3
    Que texto incrível, acho a mesma coisa sobre a escrita. Não sou escritor e tal, mas amo escrever e sempre tenho que estar escrevendo, mesmo que seja sobre os meus dias, porque se não, sinto que algo está faltando.
    Adorei a comparação entre fotografias e a escrita, e realmente, é uma metáfora e tanto.

    Um beijão!

    Juliano,
    http://www.diariodeumledor.blogspot.com.br

  2. Dayana Panassi at 8:46

    Oi Talita!

    Fiquei curiosa lendo seu texto, qual é a sua profissão?

    Esta parte do seu texto: Às vezes, depois de um tempo, o que escrevi no passado parece uma fotografia de uma época distante. É bom ver que resolvi o que me incomodava e hoje minhas questões; Eu sentia muito isso quando escrevia algo como diário e quando ia ler, as vezes acabava saindo até uma risada de ver que o que eu achava extremamente importante naquele momento, na verdade não era tão importante assim. hehehehehe

    E acho que esta parte de cima é completada por esta: O melhor de toda esta história é que aprendi que todo dia me ensina algo, que existe pelo menos uma lembrança, uma sensação que merece ser eternizada.

    Quando escrevemos uma lembrança parece que ela fica impressa em nosso subconsciente como uma fotografia, e ai quando relemos, vemos o quadro todo de forma fantástica, como se tivesse sido vivido há poucos segundos. Esta é a maravilha e o poder da escrita eu acho.

    http://meninadeparis.com

    Beijos, fique com Deus

    Dayana

  3. Carolina Mello at 18:46

    Oi Talita tudo bom? Escrever é realmente maravilhoso, quando atendo os pacientes sempre falo para eles escreverem sempre que estiverem angustiados, ou com qualquer tipo de questão, pois isso organiza o pensamento, ajuda a refletirmos melhor e colocar para fora nossos sentimentos. Infelizmente nao é todo mundo que gosta de escrever, se todos soubessem como é terapeutico passariam a escrever mais! Beijos

  4. Flor Roxa Poemas & Poesias at 17:36

    Oi Talita como vai, tudo bem? estou vendo que sim, sabe uma coisa que vc disse eu também vivencio que é a rotina de sentar todos os dias com o proposito de escrever e neste processo deixo a inspiração me conduzir e fico super contente por ela não ter me faltado, mesmo que as vezes as memorias ressurgidas não sejam exatamente as que eu gostaria.. enfim sendo leal a inspiração ela sempre retribui… bjs amiga e parabéns pelo post. tia lu( rsrs)
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *