Desgaste: cansaço triste

Desgaste: cansaço triste

O desgaste emocional pesa a alma e o cérebro, mas por ser tão grande chega ao corpo. Ele dói, quer ficar prostado. Teimo em buscar descanso físico porque parece ou é uma parte do desgaste emocional, sei lá. Confundo tudo!

Acho que é de descanso físico que preciso. Aí eu tento dormir em todas as brechas. Tenho pesadelos e quando acordo continuo a viver um sonho ruim com o corpo mais pesado do que antes de me deitar. Passo maus bocados durante o dia quando encontro a realidade na primeira esquina do meu pensamento e culpo o pesadelo.

Saio para correr, quero caminhar de tanto que a cabeça me confunde. Insisto, corro uns dez minutos e me sinto melhor. Volto para casa, coloco uma série, faço um lanche. O desgaste continua, triste e teimoso. Ainda acho que estou é cansada.

Aspirina é água para dor de cabeça. Cerveja relaxa até a ressaca de realidade no dia seguinte. Nem lembro que sei algumas técnicas de meditação. A dor chega às articulações, a paciência fica menor e eu que tanto gosto de trabalhar espero o final de semana como quem vive para eles para tomar um porre de fantasia pra fugir de mim.

Corro dos meus tormentos, mas tudo que consigo é entrar em um labirinto. Fico a procura de um caminho para sair dessa minha confusão como se ignorasse que  a alma e a mente só conseguem achar um descanso para o desgaste quando me encontro. E tem sido difícil. Pareço me perder diante dos desafios mesmo sabendo que é o único jeito de me achar, me encontrar melhor.

Certas situações sempre se repetem, é o que faz o desgaste aparecer. Talvez seja um motivo repetitivo porque ainda não aprendi como lidar com isso embora seja algo que volta e meia acontece. São pontos de evolução, crescer dói, cansa, desgasta, mas ao contrário do que poderia ser, sempre me deixa mais forte quando encontro repouso.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *