Ciúme literário

Ciúme literário

Há sentimentos que não temos, eles nos têm. O ciúme é um deles. Aparece de repente, pelos mais diversos motivos, alguns mínimos. Ciúme é rápido – chega de mansinho e quando se vê já tomou a cabeça, fez o coração palpitar, os enlouqueceu os pensamentos. Dizem que uns são doença e o doente deve procurar ajuda. Eu acredito até.

E acho que os pares de alguns tipos de profissionais devem sofrer ainda mais que outros. Sim, namorados, noivos, esposas e maridos de atores, atrizes têm motivos extra para terem ciúme. Mas quem embarca em uma paixão assim já está avisado. Além disso, com o tempo se acostuma a ver o outro com uma atriz linda, em cenas de nudez e no fundo sabem que é ficção. Claro que há casos de amores nas telas que se tornaram reais, mas aí já é outro assunto.

No entanto, estou para dizer que quem está com um escritor tem bem mais motivos para ter ciúme. Alguns escritos são autobiográficos, outros inspirados na vida de outras pessoas, recheados com o que a imaginação dita. E o namorado, noivo, marido, como fica nessa? Lê e se pergunta ou pergunta à quem escreveu: “De onde tirou isso?” Alguns entendem que nem tudo é alter ego ou que o escritor tem como matéria-prima as memórias, algumas, inevitavelmente amorosas, do passado – grande gatilho para os ciumentos. Daí, o par fica confuso, sem saber o que pensar, neste jogo de verdades e ficções do escritor.

Outro problema: textos dedicados a um ex-amor. Conheço vários autores que colocam os nomes dos amados nas crônicas, contos e o relacionamento não durou pra sempre. São textos lindos, mas imagino o que a nova namorada deve sentir ao ler. Na certa fica com no mínimo uma pontinha de ciúme e pensa logo que as linhas traçadas para ela devem logo ser escritas.

É o caso também dos músicos, principalmente compositores que são, de certa forma, escritores. Para quem sobe ao palco e compõe é pior ainda, é causador de ciúme por causa do assédio e das letras. O que a pessoa que o acompanha  tem que fazer é se acostumar mesmo, tal como fazem os pares dos atores/atrizes. É mais difícil um pouco, pois não se sabe, pelo menos em um primeiro momento, até onde o que se conta é ficção. Aos amantes dos escritores ou compositores, fica mais simples abrandar o ciúme ao pensar que ele(a) será a inspiração da vez.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *