50 tons nas telas

50 tons nas telas

Cristian Grey já tem data marcada para sair das páginas da trilogia de EL James e começar a seduzir nas telonas do cinema. A estreia de 50 tons de cinza está marcada para 12 de fevereiro, a expectativa é de muitas filas, formada principalmente por mulheres, para conferir o filme em primeira mão. A película contará a história de um empresário bem-sucedido, jovem e bonito com a inexperiente estudante Anastasia Stele: um encontro entre um sadomasoquista e uma virgem.

 O roteiro é marcado por tentativas de afastamento dos dois personagens principais da trama. O próprio senhor Grey, como é chamado por Stele, recomenda que Anastasia não deve ficar perto dele. Porém, uma mistura de amor, atração e curiosidade faz com que o casal sempre se veja junto. Interessante ressaltar que ambos fazem com que o outro descubra novos mundos: Grey, o do amor; a estudante o sexo, o prazer pela dor. O magnetismo entre os dois dissolve até mesmo uma lista absurda de recomendações do empresário, a qual Anastasia deve assinar se quiser continuar com ele. O primeiro livro termina sem a decisão da jovem, o que provavelmente irá acontecer nas telonas, para dar margem a continuidades.

 Os sites especializados em cinema ora classificam 50 tons de cinza como erótico/drama, ora em drama/romance. As duas categorizações são pertinentes, já que há inúmeras cenas, diálogos sobre sexo e também momentos em que o roteiro se aproxima de uma história de amor, com todos os dramas enfrentados pelos apaixonados. Embora Cristian se declare um homem sem romantismo, ele surpreende Stele algumas vezes. O drama está tanto na indecisão de Anastasia, nos questionamentos, quanto no mal que Grey pensa estar causando na vida da moça.

A  julgar pelo sucesso dos trailers, lançados ano passado na internet, “50 tons” será o maior sucesso cinematográfico de 2015. Em uma semana a primeira prévia foi vista por 36,4 milhões de pessoas no YouTube, o trailer mais visualizado de 2014. Quem embala a história de Anastasia e Grey é Beyoncé, a cantora gravou uma versão sensual de “Crazy in Love” especialmente para o filme, canção citada pela senhorita Stele no segundo livro da trilogia. A diva também canta “Haunted”. Rolling Stones e outros aparecem como coadjuvantes na trilha sonora.

 Os escolhidos para protagonizarem as cenas picantes foram o irlandês Jamien Dornan e a americana Dakota Johson. A revista Us Weekly noticiou que os dois tiveram que regravar alguns trechos porque faltou a química esperada entre o casal. Outra curiosidade: a autora do livro, pasmem, declarou que o roteiro foi inspirado na saga Crepúsculo. Porém, o espectador pode ter a certeza de que não verá um romance inocente nas telas.

Observação:

Este artigo foi publicado na revista Xeque Mate de janeiro/fevereiro de 2015.

Written by Talita Camargos View all posts by this author →

Talita Camargos é jornalista e flerta com a literatura, procura inspiração em conversas de ônibus, flores, familiares e amigos. Idealizou o Texto do Dia e publicou nos 365 dias de 2015 neste blog como desafio pessoal.

Oi, o que achou do texto de hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *